terça-feira, 8 de Maio de 2012

BELARMINO

O falecimento, ocorrido há dias, de Fernando Lopes (1935-2012), levantou um coro de elogios à sua obra. O mais curioso de todos eles veio de um cronista do DN, o auto-proclamado sociólogo Gonçalves, especializado em dizer mal de tudo, num de tom de infeliz azedume. Não teve tempo de elogiar o realizador em vida, coisas que acontecem...

Conheço apenas quatro filmes seus: Belarmino (1964), Uma abelha na chuva (1969), Nós por cá todos bem (1976) e Crónica dos bons malandros (1984). Mais a curta-metragem As pedras e o tempo (1961). Gosto imenso do documentário sobre Évora e de Belarmino, que são, de facto, obras maiores.

Belarmino é um filme invulgar na sua época. Não é só a modernidade da banda sonora, ou o estilo de registo da vida do pugilista Belarmino Fragoso, através de uma entrevista. Mas sobretudo o enfoque, um pouco ao jeito do free cinema, com uma visão um pouco amarga sobre uma carreira falhada.

Vale a pena ver o filme, do qual vos deixo este curto excerto:

Sem comentários: