segunda-feira, 25 de Junho de 2012

O TEMPO NÃO VOLTA PARA TRÁS

Post mourense.

 

Foi aberto ao público o núcleo de armaria da torre de menagem do castelo de Moura. Concluiu-se um processo com 24 anos. Passou também a poder visitar-se a alcáçova do castelo, até ontem vedada ao público.
  
Alcáçova do castelo de Moura - 1993

Alcáçova do castelo de Moura -2012

Claro que uma ocasião destas deu origem a faits-divers. Tinha de dar, fatalmente. O mais significativo ocorreu durante a breve intervenção que fiz. Recordei a história do projeto e afirmei que um processo destes não iria parar nem voltaria para trás. Nem na parte de investigação ligada à arqueologia diz respeito nem no que se refere à reabilitação patrimonial. Isso bastou para que alguém soltasse a seguinte bojarda, ouvida por pessoa amiga, que ma relatou: "vamos ver se ele daqui a um ano e meio não volta para trás".

Há, como se pode ver, atitudes da mais crassa e absoluta estupidez. Mas não deixa de ser curioso que a 16 meses das eleições autárquicas já se preparem limpezas e se engendrem perseguições. Mesmo sem saberem quais os resultados eleitorais. Por isso, aqui ficam, desde já, três afirmações que são, também, desafios:

1. O tempo não volta para trás, por muito que se queira;

2. Se a pessoa em causa se referia ao projeto de reabilitação patrimonial do castelo considero de uma invulgar burrice o desejo ou a intenção de o fazer voltar para trás. Fica por perceber como. E, sobretudo, porquê. Repare-se nas fotografias...

3. Se a referência me era dirigida (eventualidade mais provável) é melhor que se desengane(m). Não abandonarei a direção do projeto de investigação arqueológica do castelo de Moura. É melhor não irem por aí...

8 comentários:

Portugalredecouvertes disse...

Está espectacular!

Anónimo disse...

Como toda a gente sabe, estou a fazer uma licenciatura em Turismo. Sempre que se proporciona, tento fazer trabalhos académicos sobre o concelho: já fiz uma pequena sondagem sobre a frequência com que os naturais de Moura visitam a Igreja de S. Pedro, actual Museu de Arte Sacra; já fiz igualmente um trabalho sobre a Olivomoura - Feira Nacional de Olivicultura, está na calha um trabalho sobre a Herdade da Contenda e, só não fiz nenhum trabalho sobre o recinto do Castelo de Moura no seu todo, porque ainda não aconteceu o momento certo. Mas enquanto isso não acontece, já falei no assunto a professores e colegas, no Castelo no todo, não apenas no Núcleo de Armaria, os quais manifestaram o maior interesse em conhecer e os comentários foram, inequívocamente, no sentido de que a Câmara de Moura é uma Câmara dinâmica, com iniciativa, questões partidárias à parte. Inclusive, uma colega teceu o seguinte comentário: "Não sou comunista,nem gosto de comunistas, mas reconhecço que eles sabem fazer as coisas". E deu como exemplo a terra dela. Ao tomar conhecimento que alguém teve o dessassombro de "ameaçar" voltar atrás um projecto bastante importante para o sector turístico de Moura, já para não falar na impotância em termos do conhecimento da sua identidade, não posso concordar com a palavra "estupidez", considero antes má fé, desfazer apenas por desfazer, porque foi outro partido que fez, a atitude tão mesquinha em que os portugueses são exímios.Algo me diz que já não estarei presente para ver. Mas não volta atrás. Garantidamente.

Luís Amor

Anónimo disse...

Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.
Em Santo Amador, levaram 30 anos a fazer o centro cultural.
Agora fizeram um mini campo de futebol, quando estava projectado um campo de futebol de 11. O mini campo de futebol foi feito de empreitada, com duas ou três escavadoras a moverem a terra de um lado para o outro, não têm balneários.
Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.

Anónimo disse...

Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.
Em Santo Amador, levaram 30 anos a fazer o centro cultural.
Agora fizeram um mini campo de futebol, quando estava projectado um campo de futebol de 11. O mini campo de futebol foi feito de empreitada, com duas ou três escavadoras a moverem a terra de um lado para o outro, não têm balneários.
Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.

Anónimo disse...

Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.
Em Santo Amador, levaram 30 anos a fazer o centro cultural.
Agora fizeram um mini campo de futebol, quando estava projectado um campo de futebol de 11. O mini campo de futebol foi feito de empreitada, com duas ou três escavadoras a moverem a terra de um lado para o outro, não têm balneários.
Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.

Anónimo disse...

Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.
Em Santo Amador, levaram 30 anos a fazer o centro cultural.
Agora fizeram um mini campo de futebol, quando estava projectado um campo de futebol de 11. O mini campo de futebol foi feito de empreitada, com duas ou três escavadoras a moverem a terra de um lado para o outro, não têm balneários.
Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.

Anónimo disse...

Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.
Em Santo Amador, levaram 30 anos a fazer o centro cultural.
Agora fizeram um mini campo de futebol, quando estava projectado um campo de futebol de 11. O mini campo de futebol foi feito de empreitada, com duas ou três escavadoras a moverem a terra de um lado para o outro, não têm balneários.
Realmente os comunistas sabem fazer as coisas.

Santiago Macias disse...

Pior que um anónimo tonto só um anónimo-disco-riscado...