quarta-feira, 9 de maio de 2018

CRÓNICAS OLISSIPONENSES - V

Já aqui tinha aludido a estes sistemas de rega, referindo as "engenhosas torres de babel, banheiras em esmalte (v. fotografia) que servem de depósitos de água para rega. Um mundo de improvisação, criatividade e esforço. Um toque do sul no cinzento setentrional". Algo semelhante a um Pedro Cabrita Reis em versão campestre.


Pedro Cabrita Reis, Posto de Observação / Atlas Coelestis V, 1994

1 comentário:

Anónimo disse...

É praticamente igual àquilo de Pedro Cabrita Reis; mas em melhor, claro.