terça-feira, 10 de julho de 2018

A IGREJA DE SANTIAGO, REVISTA E AUMENTADA

No dia em que surgem, nas traseiras do convento, estruturas antigas no Castelo de Moura, um novo olhar sobre a igreja de Santiago relança novas hipóteses e outras visões sobre o edifício.

Imagem de cima:
1) Altar da primeira igreja de Santiago
2) Base de pilar de entrada na capela-mor
3) Base de pilar de entrada na capela-mor

Imagem de baixo (verão de 2012):
1 - À esquerda deste número identifica-se uma pequena estrutura quadrangular, que pensamos ter sido um altar
2 - Local onde se encontrou uma moeda da primeira metade do século XIV
3 - Enterramento com moeda associada (ceitil de D. Afonso V)
4 - Enterramento com moeda associada (ceitil de D. Afonso V)

Importa agora alargar a área de escavação e identificar a planimetria da igreja. A escavação foi interrompida neste setor no verão de 2012. É 2019 será altura de retomar nos terreno em volta da capela-mor da igreja. Porque o espaço religioso tem uma dimensão maior do que na altura se supunha. E mesmo a sua cronologia deverá ser (re)afinada.


Sem comentários: