sábado, 26 de janeiro de 2019

UM MINARETE NO CASTELO DE MOURA

Dei-me conta, no meio de infindáveis leituras para um daqueles trabalhos linha-do-horizonte (quanto mais nos aproximamos do fim, mais o fim se afaste), que nunca aludi, em mais de uma década de blogue, a esta inscrição, existente no Castelo de Moura.

De que se trata? Da lápide que comemora a construção do minarete da mesquita de Moura. Como já defendi algures, não se trata de uma simples celebração de uma obra pública. Esta lápide, mandada fazer, em meados do século XI, pelo poderoso al-Mutadide, senhor de Sevilha e de todo o ocidente, fez parte de um processo de afirmação política. Foi, em ultima análise, uma declaração de posse sobre as importantes minas de prata que havia em torno da Serra da Adiça.

O primeiro a publicá-la de forma conveniente foi Alois Richard Nykl (1885-1958), grande arabista de origem checa. Deu-a a conhecer no vol. V da revista "Al-Andalus", em 1940. Citando de memória, com os riscos que isso comporta..., creio que foram Ana Labarta e Carmen Barceló quem, em 1987, esclareceram que a palavra "torre" que se lê na lápide não é uma qualquer estrutura, mas sim uma torre concreta. Ou seja, um minarete.

Sem comentários: