quinta-feira, 3 de outubro de 2019

QUANDO A TECNOLOGIA ULTRAPASSA O SONHO

Lido, há tempos, na imprensa:
A cidade de Chengdu, no sudoeste da China, pode vir a ter uma lua artificial, oito vezes mais brilhante do que a Lua real. A iluminação fornecida pelo satélite vai complementar a Lua à noite, cujo objetivo é substituir as luzes das ruas das cidades.
Como conta o jornal chinês The People’s Daily, com a lua artificial, o Instituto de Ciência e Tecnologia Aeroespacial de Chengdu pretende acabar com aquilo que a Lua não consegue fazer por “não ser brilhante o suficiente”, uma vez que o satélite artificial vai ser capaz de iluminar uma área com um diâmetro entre 10 e 80 quilómetros. De acordo com o presidente desse Instituto, Wu Chunfeng, espera-se que o satélite seja lançado em 2020, tendo os testes já começado. Há grandes possibilidades de, assim, a cidade de Chengdu conseguir poupar em milhões de euros na eletricidade.

Parece quase poético para ser verdade... Ou demasiado irreal e temível.
A lua, de Georges Meliès, antes de haver astronautas

Sem comentários: