sábado, 12 de janeiro de 2019

DA REALIDADE À DEMAGOGIA


Falando do ponto de vista pessoal, gostaria de estar sossegado. Tenho o próximo ano letivo na Universidade para preparar, livros em redação, comissariados de exposições etc. Retomei o percurso profissional. Com calma e de forma compensadora.

Tento não "me meter" na política local mourense.

Quando se anunciou o encerramento da fábrica, fiquei silencioso. Com a vida das pessoas em jogo, é mais prudente guardar silêncio.

Eis que surge na RTP o presidente da Câmara de Moura, sr. Álvaro Azedo, dizendo "o que é que falhou aqui? se calhar por via da negociação, podia-se ter negociado um prazo mais dilatado, em vez de 10 anos, [serem] 25 anos, que é o tempo que a ACCIONA vai explorar a Central Fotovoltaica [de Amareleja]".

Perdi a paciência e, um pouco (admito-o), a calma.

Em poucas palavras:
* As palavras do autarca Álvaro Azedo são produto da mais rasca e básica demagogia.
* As palavras do autarca Álvaro Azedo revelam má-fé, falta de caráter, desconhecimento e falta de preparação técnica e política.
Devia saber, se não sabe é ainda mais grave, que uma das principais dificuldades em todo o percurso foi precisamente a de encontrar quem assumisse o funcionamento da fábrica pelo período de 10 anos, o que levou ao abandono do processo de duas importantes empresas do setor e a que outras não tivessem apresentado sequer proposta.
* Devia recordar-se que, por vontade do PS, a fábrica nem arrancaria (nem 10, nem 25 anos...)
* Explique, já agora, quais foram os seus contributos, enquanto presidente de junta e enquanto membro da Assembleia Municipal nesta matéria.
* Explique também, sff, em que deram os contactos que fez, e qual foi a utilidade das diligências e da ida de ministros seus amigos a Moura...

As palavras de A. Azedo são um desnecessário insulto a várias equipas autárquicas e, em especial, a José Maria Pós-de-Mina. Um homem que não merecia ouvir disparates deste calibre.

Sr. Presidente da Câmara, trabalhe. Faça mais que continuar os muitos projetos que herdou. E, acima de tudo, tente prestigiar o cargo que desempenha.


Leia-se também este texto que publiquei em março de 2017: https://avenidadasaluquia34.blogspot.com/2017/03/tantissimo-que-eles-gostam-de-projetos.html

Sem comentários: