terça-feira, 27 de setembro de 2016

ALUMNUS VIII

Oitava sessão do Projeto Mouralumni. Foi hoje, com Francisco Maria Moita Flores.
Moita Flores estudou em Moura até à sua adolescência, licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, foi professor do Ensino Secundário e inspetor da Polícia Judiciária. É escritor. Teve experiências como autarca local, tendo sido presidente da Câmara Municipal de Santarém.

As sessões foram animadas e decorreram num ambiento fraterno. Informal e descontraído, Moita Flores coloriu a sessão com inúmeros episódios da seu percurso pessoal. Um homem calmo, bem consigo e com os outros.

Esta iniciativa é desenvolvida em parceria pela Câmara Municipal de Moura, pela Escola Secundária de Moura, pela Escola Profissional de Moura e pela Rádio Planície. Próxima sessão em novembro ou dezembro.


A celfe foi a pedido do Francisco, ok?

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

CATEMBE

"Catembe" é o nome da zona a sul de Maputo. É, também, o título do documentário realizado por Faria de Almeida, em 1964. Um filme traumático, com mais de 100 cortes praticados pela censura. Dos 87 minutos originais foram cortados para 48 minutos pela Agência Geral do Ultramar. O filme nunca estreou.

As coisas inacabadas são, tantas vezes, as mais fascinantes e desafiadoras. É difícil imaginar a obra completa a partir do que dela resta. Ainda assim, estes 48 minutos são suficientemente interessantes para justificarem a minha escolha como filme da semana.

Já olhei para a Catembe, a partir da piscina do Hotel Cardoso. Mas só olhei. Pode ser que um dia...





No filme há uma referência à Praça de Touros de Lourenço Marques. Foi construída em 1956. Fica, o que dela resta, entre a Av. Acordos de Lusaka (antiga Av. General Craveiro Lopes) e a Av. Milagre Mabote (antiga Rua de Lisboa).

domingo, 25 de setembro de 2016

LUGAR AO MÉRITO

Há pouco a dizer, a não ser o reconhecimento que é devido aos alunos que ganharam o Prémio Municipal de Mérito Escolar. E que abrange professores, pais e familiares, funcionários das escolas etc. As sessões tiveram lugar em Amareleja (dia 21) e em Moura (dia 24). Distinguiram-se duas dezenas de jovens magníficos. De onde?
EB 2,3 de Moura
EBI de Amareleja
Escola Profissional de Moura
Escola Secundária de Moura

O Prémio Municipal de Mérito Escolar é uma parceria com o Crédito Agrícola do Guadiana Interior.




30 ANOS MAIS TARDE

Faz hoje 30 anos (era uma quinta-feira, aquele 25 de setembro de 1986) que entrei ao serviço da República. Uma escolha de que nunca me arrependi. Não penso na idade da reforma, muito menos em reforma antecipada ou qualquer outra opção do género. Se tiver saúde, sairei por limite de idade. Muitas vezes tenho pensado nisso e não vejo, ainda, razões para mudar.


... FOR ALL SEASONS - II

A man for all seasons é uma expressão que se aplica a alguém que tem sucesso em várias atividades. Ora bem, essa parte do sucesso já tem mais que se lhe diga. Dois dias em registos completamente diferentes. Dias compensadores, em todo o caso.

Encontro com Pierre Guichard, meu diretor de tese e professor emérito na Universidade de Lyon II. Soube, quase em cima da hora, que estava em Lisboa. Fiz questão de o ir cumprimentar na sexta à tarde, à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.


Conferência no encontro O Mediterrâneo e a sua História, no El Corte Inglés (!). Na ótima companhia de João Alpuim Botelho e de Lídia Fernandes. 

Presença na entrega dos prémios de mérito escolar. Jovens talentosos, academicamente e na poesia e na música e no baile.

Encontro breve com o meu camarada Carlos Carvalhas. Visita à exposição "Água - património de Moura". Ele não estava nada convencido com o sucesso da selfie. Com razão...

Almoço-lanche-jantar com os amigos da Associação Equestre da Póvoa de S. Miguel. Em jeito de aquecimento para a festa do padroeiro, que é dentro de dias.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

FIRST WE TAKE LISBOA, THEN WE TAKE COIMBRA...

Dois dias ligeiramente diferentes do padrão habitual.  Com uma citação hiperbólica e desavergonhada a Leonard Cohen, que mereceria melhor sorte. Primeira incursão hoje, no El Corte Inglés. Na excelente companhia de Lídia Fernandes. Um texto com incursões ao ocidente e ao oriente mediterrânicos (com Moura incluída, naturalmente). Imagino que a referência "actualmente é o presidente da Câmara Municipal de Moura" possa merecer alguma curiosidade zoológica...

A outra invasão, mais a norte, será dentro de dias. Motivo: apresentação do livro sobre as escavações arqueológicas no Castelo de Moura. Na Universidade de Coimbra.




quinta-feira, 22 de setembro de 2016

MITO URBANO

Clarificando um muito divulgado "mito urbano" da cidade de Moura:

1. O Campo Maria Vitória não foi uma doação feita ao Município, para a prática desportiva;
2. Os terrenos onde se viria a instalar o Campo Maria Vitória foram adquiridos pela Câmara Municipal de Moura em 21.9.1916 (fez ontem exatamente um século);
3. Vendedores - Maria do Carmo Pereira de Lacerda d’Aguilar Menezes Portugal, Rodrigo Limpo de Lacerda Ravasco e sua mulher Maria Beatriz Serrão de Barbosa Araújo Lacerda Ravasco;
4. Valor da transação - 400$00 (2 €, em moeda atual).

(dados cedidos pelo meu colega José Francisco Finha)

A procura de soluções para os problemas do concelho é a nossa preocupação nº 1. O balanço será feito no momento oportuno. Tranquilamente e com segurança.


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

VIAGENS NA NOSSA TERRA

Post curto a respeito da GALA DE MOURA, e uma vez que em vários locais se tem referido a minha ausência no evento ou a falta de apoio da Câmara Municipal de Moura:

1. Não recebi qualquer convite da organização para estar presente na GALA DE MOURA.
2. Se tivesse recebido convite teria ido ou ter-me-ia feito representar, tal como é meu hábito em todos os eventos que têm lugar no concelho de Moura e para os quais sou convidado. Em especial, os que são organizados por jovens, os quais devem ser sempre apoiados nestas iniciativas.
3. O apoio solicitado à Câmara de Moura (por ex. transporte gratuito a Lisboa para um programa da SIC) pela organização da GALA DE MOURA foi cedido.
4. A cedência do Cineteatro para os ensaios da GALA, na data solicitada, não foi possível devido a outros compromissos já assumidos. Alternativas sugeridas não foram consideradas convenientes pela organização da GALA DE MOURA.
5. Não foi pedido qualquer outro apoio.


terça-feira, 20 de setembro de 2016

PORTUGAL E OS PORTUGUESES VISTOS POR DENTRO MAS DE FORA - VI/X: THURSTON HOPKINS

Poucas fotografias serão tão portuguesas como esta. Thurston Hopkins (1913-2014) retratou Amália Rodrigues assim, no já distante ano de 1950. Uma imagem vale por 1000 palavras? Vale. Esta até vale por muitas mais.

Uma imagem bela, cheia de sentimento e de força. Quase a ouço cantar "Foi por vontade de Deus / Que eu vivo nesta ansiedade", mas tenho quase a certeza que esse fado é bem posterior à data da fotografia.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

RECORDANDO OS LABIRINTOS


LABERINTOS

De todos los laberintos el mejor
es el que no conduce a nada
y ni siquiera va sembrando indicios
ya que aquellos otros
esos pocos que llevan a alguna parte
siempre terminan en la fosa común

así que lo mejor es continuar vagando
entre ángulos rectos y mixtilíneos
pasadizos curvos o sinuosos
meandros existenciales / doctrinas en zigzag
remansos del amor / veredas del desquite
en obstinada búsqueda de lo inhallable

y si en algún momento se avizora
la salida prevista o imprevista
lo más aconsejable es retroceder
y meterse de nuevo y de lleno
en el dédalo que es nuestro refugio

después de todo el laberinto es
una forma relativamente amena
de aplazar cualquier postrimería

el laberinto / además de trillada metáfora
frecuentada por borges y otros aventajados
discípulos y acólitos del rey minos
es simplemente eso / un laberinto /
cortázar se quejaba / entre otras cosas /
de que ya no hubiera laberintos
pero qué sino un laberinto
es su rayuela descreída y fértil

forzado a elegir entre los más renombrados
digamos los laberintos de creta samos y fayum
me quedo con el de los cuentos de mi abuela
que no dejaba vislumbrar ninguna escapatoria

en verdad en verdad os digo que la única fórmula
para arrendar la esquiva eternidad
es no salir jamás del laberinto
o sea seguir dudando y bifurcándose y titubeando

o más bien simulando dudas bifurcaciones y titubeos
a fin de que los leviatanes se confundan

así y todo el laberinto es tabla de salvación
para aquellos que tienen vocación de inmortales
el único inconveniente es que la eternidad /
como bien deben saberlo el padre eterno
y su cohorte de canonizados /
suele ser mortalmente aburrida


Fica-se com a ideia que Benedetti não apreciava excessivamente Borges (pode ser erro de leitura, ou exagero, meu). Tenho, ai de mim, uma velha fixação por labirintos. Cádiz (fotografia do verão de 2011) é um labirinto retilíneo, onde ninguém se perde. Um anti-labirinto. en verdad en verdad os digo que la única fórmula / para arrendar la esquiva eternidad / es no salir jamás del laberinto / o sea seguir dudando y bifurcándose y titubeando? É provável que sim. Sem me dar conta, há 53 anos que o faço.

domingo, 18 de setembro de 2016

CULTURAL BULLSHIT

Quando, no passado mês de maio, tive de assistir a uma cerimónia nos Estados Unidos, a jovem amiga com quem me ia encontrar pediu-me "por amor de Deus, não tragas aquelas tuas camisas de padrões africanos". Porquê?, surpreendi-me. A resposta foi que usar símbolos que não me pertencem é "cultural appropriation" (uma coisa séria nos States...), mais uma daquelas tangas conceptuais inventadas por quem não tem muito que fazer. Ou seja, no limite não posso usar nada que seja exterior à minha cultura. Ainda argumentei que muitos padrões africanos não são exatamente africanos, mas sim uma criação dos espertalhões dos holandeses, adaptados a partir de motivos e de técnicas orientais. Não a demovi e optei por roupa discreta.

Ontem, ri com gosto ao ver que um desfile de moda de Marc Jacobs causou assinalável burburinho, uma vez que as modelos (quase todas brancas) usavam dreadlocks. "Cultural appropriation", berraram as virgens ofendida do costume.

Lembrei-me, vá lá saber-se porquê, do político macaense Roque Choi, que usava com regularidade um capote alentejano. Não só o facto não me ofende minimamente, como até me parece uma interessante promoção de uma das nossas imagens de marca.

Muito, mas muito pior que a tal "cultural appropriation" é o facto de continuar a haver uma grosseira discriminação racial na escolha dos/as modelos, dos atores e atrizes, dos/as apresentadores de televisão. O problema está aí e não no uso de adornos e de adereços.


sábado, 17 de setembro de 2016

O MEU PRIMO DA MONGÓLIA

A fonte foi o Diário de Noticias na net.

O site é http://forebears.io/about. Ficamos a saber quantas pessoas têm o nosso apelido, em todo o mundo. Fui atrás dos Macias. Em Portugal somos 323, em Marrocos há 268. O link recente (século XIX) parece ser esse. Mas ainda não me dei ao trabalho de aprofundar. A maior concentração é em Espanha e nas Américas, como é evidente. Engraçado é haver um Macias na Mongólia. Alô Ulan Bator! Um abraço para aí do alcaide calêro.


BAR 25

Fernando Lima conta coisas do tempo em que serviu Cavaco Silva. O silêncio é, nestas coisas, sempre mais prudente.

José António Saraiva escreve um livro sobre a intimidade de alguns políticos. O livro vai sair e parece que há sexo. Uma receita que nunca falha quando se quer vender...

A vida pública e da política começam a parecer-se com o Bar 25, uma casa de strip que havia perto dos Restauradores e na qual um moeda de 25 escudos  (isto foi há uns 35 anos) dava direito, numa cabine, a três minutos de nudez frontal feminina.

O peep show toma conta do quotidiano. Um (mau) sinal dos tempos. 


sexta-feira, 16 de setembro de 2016

IGREJA DE SANTO AMADOR - INTERVENÇÃO TERMINADA

Estão concluídas as obras de reabilitação da igreja paroquial de Santo Amador.
A Câmara Municipal de Moura apoiou a Comissão da Fábrica da Igreja Paroquial de Santo Amador com uma verba de mais de 17 mil euros para financiar a intervenção de conservação e valorização daquele templo religioso.
Os trabalhos da empreitada decorreram entre 24 de agosto e 9 de setembro e consistiram na reparação do telhado; na pintura do muro, dos beirados e do teto da igreja; e na reparação e pintura das partes degradadas do interior e exterior.

NOTA DO GABINETE DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES PÚBLICAS DA CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA


Intervenção prometida e terminada.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

PERIVOLIA RAIANO

O convite do Ayuntamiento de Badajoz para estar presente na abertura da FECIEX (Feria de la Caza, Pesca y Naturaleza Ibérica) deu-me oportunidade de conhecer o percurso de um caçador que andou durante 60 anos em terras africanas. A exposição proporcionada pelas incessantes jornadas de Tony Sánchez-Ariño traduz-se em dezenas de animais parados no derradeiro momento de vida. Um jardim zoológico imóvel, uma visão congelada de um éden irredutível.  A encenação é apelativa, os sons e os objetos também. Revelam, é certo, uma visão de uma certa África colonial e pós-colonial, mas o conjunto é interessante também por isso.

Não pude deixar de me lembrar de um dos meus textos favoritos, o relato das embaixadas de Liuteprando de Cremona a Bizâncio, no século X. Numa delas, Liuteprando é levado a um jardim com animais, um desses perivolia com que os imperadores queriam recriar paraísos na terra. Muitos mosaicos da época ligam-se a essa tradição, tão cara aos poderosos da época.




Durant le souper, Nicéphore me demanda si vous aviez des bois et des parcs; et si dans ces parcs vous aviez des ânes sauvages et d'autres bêtes. Je lui répondis que vous aviez de fort beaux parcs, où il y avait toute sorte de bêtes, à la réserve des ânes sauvages; sur quoi il me dit qu'il me mènerait à son parc et que j'en admirerais la grandeur et la quantité des ânes sauvages qui y étaient. Je fus donc mené à ce parc, qui est d'une fort grande étendue, rempli de quantité d'arbres (...)

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

ESCOLA PROFISSIONAL DE MOURA, EM CAMPO E CONTRACAMPO

Eram 10.30. Nesse momento, teve início a sessão de abertura do ano letivo da Escola Profissional de Moura. A Câmara Municipal tem, desde 2000, responsabilidades diretas neste processo. O anfiteatro encheu-se (alunos, funcionários, professores, alguns encarregados de educação) para as palavras de boas-vindas dos responsáveis pela escola.

Ver as coisas em campo e contracampo dá sempre jeito... São diferentes perspetivas para uma mesma realidade.




terça-feira, 13 de setembro de 2016

PRIMEIRA CHUVA

Cai a Chuva no Portal
.
Cai a chuva no portal, está caindo
Entre nós e o mundo, essa cortina
Não a corras, não a rasgues, está caindo
Fina chuva no portal da nossa vida.
Gotas caem separando-nos do mundo
Para vivermos em paz a nossa vida.

Cai a chuva no portal, está caindo
Entre nós e o mundo, essa toalha
Ela nos cobre, não a rasgues, está caindo
Chuva fina no portal da nossa casa.
Por um dia todos longe e nós dormindo
Lado a lado, como páginas dum livro.
Lídia Jorge

Hoje, pela manhã cedo, ouvi a primeira chuva em muitos dias. A água limpou a poeira e deixou o ar limpo e bonito. Regresso breve à minha outra terra. Às 11.10 o dia continuava assim, límpido e silencioso. Virei-me para sul, e mesmo com o telemóvel, tirei partido da luz, das nuvens e da Senhora das Neves.

A MÓNICA DESPE-SE... A MÓNICA VEM PARA LISBOA... ISTO ANDA TUDO LIGADO

DN, ontem. E eis que a silly season ainda não chegou ao outono...

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

CRÓNICA DA FEIRA 2016

Feira ao cronómetro...

De quinta, às 15 horas, até domingo, às 22 horas. Mais de 70 horas sem grandes momentos de interrupção. Que fazer? Representar o Município em todas as ocasiões.  Dar atenção aos empresários (dois comerciantes de Espinho fizeram, a respeito desta Câmara, uma afirmação interessantíssima, que usarei um destes dias...), acompanhar os eventos - concurso de méis, de artesanato, de petiscos -, preparar intervenções, assistir a espetáculos, estar com o Grupo de Forcados de Moura (uma noite longa...), apresentar novas iniciativas. Sem excluir momentos de diversão. A vereação foi mobilizada em permanência.

A política passa, em muito, por aqui, pela representação e pela proximidade. E pelas iniciativas que se tomam. Algumas foram anunciadas na abertura da feira, no dia 8. O lote completo será objeto de comunicado da Câmara Municipal, nos próximos dias.

Quinta, 8
15h - Receção ao meu colega de Alvito, António João Valério.

19h - Abertura da feira.

20h - Apoiando a SOS Animais de Moura.

23h - Com amigos, na feira.

Sexta, 9
20h - Color Party.

20h 30 - Efeitos da Color Party.

23h - O jantar a que faltei...


Sábado, 10
14h - Encontro com antigos cabos dos Forcados de Moura.
Da esquerda para a direita: António José Garcia, Valter Rico, o blogger, José António Costa e António Romão Matado.

15h - Entrega de prémios no Concurso de Méis.

15h 45 - Apoiando os empresários da "Magana"


17h 30 - Procissão antes da corrida de touros.

20h 45 - Final da corrida.

03h 10 - Intervenção, a convite do cabo, no final do jantar dos 45 anos do Grupo de Forcados Amadores de Moura.

Domingo, 11
10h - Ação de promoção dos Campeonatos Nacional e Mundial de Pesca ao Achigã em Embarcação. Vão ser em Moura, em outubro.

18 h - Entrega do Prémio Municipal de Artesanato a Cláudia Félix.

19h 30 - Entrega dos Prémios do Concurso de Petiscos.

19h 45 - Com Ana Rola, do Moura Desportos Clube (1º classificada no concurso).


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

FEIRA DE MOURA - TASQUINHAS: MODO DE USAR

Ora vamos lá dar uma mãozinha às associações e às comissões de festas do concelho.

Para além das 14 tasquinhas, onde há concurso de petiscos, há o espaço da Comissão de Finalistas e mais quatro restaurantes de outras comissões de festas.

Ainda bem que aqui não acontece nada...

MIGUEL BENTO, PhD

Chegava todas as manhãs numa V5 ou numa Casal. Engano-me sempre no modelo da motoreta .. Vinha de Alcaria Ruiva para colaborar nas escavações arqueológicas no Castelo de Mértola. O Cláudio destinou-nos a mesma quadrícula. Falávamos sei lá do quê todo o santo dia. Isso foi em 1983 ou 1984. Ficámos amigos desde então.

Viria mais tarde a ser vereador da Câmara de Mértola, era eu funcionário do quadro da autarquia.

O Miguel Bento doutorou-se na passada terça-feira, no ISCTE. A tese tem título de tese (acho que é mais ou menos obrigatório as teses terem títulos extensos e o título da dele tem 15 palavras): Serviço social e municípios - trajectórias e desafios dos assistentes sociais portugueses nos territórios municipais.

Aprovado com distinção. Um abraço ao Miguel Bento, PhD.

UM NOVO FUTURO PARA O ANTIGO CAMPO MARIA VITÓRIA (MOURA)


AVANÇA UM INVESTIMENTO DE TRÊS MILHÕES DE EUROS


Moura vai beneficiar de um investimento de cerca de três milhões de euros que contribuirá para a dinamização da economia do concelho e assegurará a requalificação urbanística de uma zona central da cidade. 
O projeto, no antigo Campo Maria Vitória, envolve a Câmara Municipal de Moura e investidores privados. Trata-se da construção de uma superfície comercial e do arranjo da área exterior envolvente. Prevê-se que as obras comecem antes do final deste ano e estejam concluídas na primavera de 2017.
A superfície comercial, ligada ao grupo Sonae, representará um investimento à volta de dois milhões de euros, com a garantia da criação de cerca de 60 postos de trabalho.
Além disso, o empreendimento inclui a construção de infraestruturas, da responsabilidade dos investidores, no valor de 770 mil euros, nomeadamente acessibilidades viárias, áreas de estacionamento, espaços verdes, um parque de caravanas e um parque de skate, com a manutenção assegurada por 20 anos.
Da área total da parcela de terreno, de 9627 metros quadrados, foi atribuído um lote comercial de 6508 metros quadrados à empresa Pluralcomp, Compra e Venda de Imóveis, SA, por 300 mil euros, que revertem para a Câmara Municipal de Moura. Dentro do lote comercial, a área de construção será de 2300 metros quadrados. O Município garante a propriedade de 3119 metros quadrados do total da parcela.
Este processo, ao abrigo do regulamento municipal de atribuição de lotes e parcelas para a instalação de atividades económicas, foi alvo de um procedimento aberto a concorrentes, do qual saiu a proposta vencedora que agora se concretiza.
O projeto permite à Câmara de Moura a reabilitação da zona do Campo Maria Vitória, a custo zero para o orçamento municipal, e proporciona condições para um investimento privado de cerca de dois milhões de euros, com a criação de emprego.

NOTA DO GABINETE DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES PÚBLICAS DA CÂMARA MUNICIPAL DE MOURA (8.9.2016)