terça-feira, 5 de março de 2019

BALANÇO CARNAVALESCO

2019 já está. A próxima etapa começa no dia 21 de fevereiro de 2020. De sábado até à passada madrugada foi uma correria. Uma estoiraria, para usar uma expressão muito em uso pelo povo caleiro. O costume, por aqueles lados. Bares abertos até de manhã, DJ por toda a parte, povo aos magotes no baile da Comissão de Festas. Foi assim e assim será no próximo ano.

Os momentos de fim de festa levam, direitinho, ao Epílogo, de Manoel Bandeira:

Epílogo 
Eu quis um dia, como Schumann, compor
Um carnaval todo subjetivo:
Um carnaval em que o só motivo
Fosse o meu próprio ser interior...

Quando o acabei - a diferença que havia!
O de Schumann é um poema cheio de amor,
E de frescura, e de mocidade...
O meu tinha a morta morta-cor
De senilidade e de amargura...
- O meu carnaval sem nenhuma alegria!






Aqui fica, entretanto, a abertura Carnaval Romano (1844), de Hector Berlioz (1803-18699. O nome tem a ver com uma cena de carnaval da ópera Benvenuto Cellini, na qual esta peça se inspira. Gosto do tom festivo da música. Vai bem com estes dias.



Sem comentários: