quarta-feira, 19 de abril de 2017

UM POÇO, DOIS POÇOS, TRÊS POÇOS...

A princípio havia UM poço árabe, em plena Mouraria (na esquina do largo com a travessa e com a segunda rua). Que não era árabe nem nada parecido, mas a tradição permaneceu. Na verdade é uma peça tardo-medieval, à qual se veio juntar OUTRO bocal, encontrado na Primeira Rua da Mouraria. Um e outro têm uma cronologia que andará pelos séculos XIV-XV. Aqui, as ruas "não se ficam atrás", e eis que há meses foi identificado um TERCEIRO bocal na Treceira Rua da Mouraria. Não é medieval, nem por sombras. Na melhor das hipóteses, terá cronologia seiscentista.

Os três bocais serão as estrelas da Casa dos Poços, na esquina do largo com a travessa e com a segunda rua. Memória, herança cultural e promoção turística, num processo que arrancou a custo e que agora ganha asas. A partir de final de junho, a nossa Mouraria contará com mais um elemento patrimonial de grande valia.

O bocal nº 3 no local de restauro - a popular indisciplina das curvas e a geometrização palaciana

Sem comentários: